15. outubro, 2014Novidades Comentários desativados em Mensagem do mês de Outubro
article-image

Outubro o mês motivador para assumirmos na Igreja de Jesus Cristo o nosso papel de “CRISTÃO MISSIONÁRIO” É tempo propício para a reflexão, que nos impulsiona à ação.
Ser missionário é sair de si para ir ao encontro do outro, do novo e do diferente, como em busca de um presente de alto valor. Por isso, “perder-se em Deus”, confiante, sereno e persistente, para responder aos desafios do “SER MISSIONÁRIO.” Assumir a estes desafios numa abertura pessoal e comunitária, não somente ter a preocupação de levar algo, mas também descobrir valores, atalhos, soluções e convicções para buscar juntos (missionários e seus destinatários:) A VERDADE DE JESUS CRISTO. A missão nos leva a um novo jeito de ser Igreja. Nenhuma Comunidade Cristã é fiel à sua vocação se não é missionária. O autêntico missionário se doa sem restrição e sem exigências. Sua primeira atitude concreta e discreta deve ser a mansidão, porque o anúncio da Boa Nova tem que ser anúncio de Paz. O sermão de montanha proclamado por Jesus Cristo declara bem aventurados os mansos e os misericordiosos, como aqueles que promovem a PAZ. A agressividade afasta os corações. São Francisco de Sales ensinava que se apanham mais moscas com uma gota de mel do que com um barril de fel. Aprendemos com os “missionários de fibra,” de todos os tempos, a paciência e a compreensão. Na inculturação da Fé, eles davam tempo ao tempo como o semeador que aguarda confiante e sem pressa o tempo da colheita. O documento chave para nós hoje é o EN. de PAULO VI que ainda agora, nos é atual e nos exorta: “A obra da evangelização pressupõe um AMOR FRATERNO sempre crescente, para com aqueles a quem o missionário evangeliza” Sem amor fraterno, toda e qualquer obra é furada. Para levar a Boa Nova a um mundo tão sofrido e angustiado e as vezes sem esperanças, o missionário não pode se apresentar triste ou desanimado, nem impaciente e nem ansioso – mas deve ir com uma Fé irradiante, com um fervor que contagia e com uma coragem que inflama a todos. “Que a sua voz se abra para propor a Verdade Evangélica com absoluta clareza e todo o respeito à consciência de seus ouvintes.” EN “Ao irem pelo mundo não discutam, nem porfiem com palavras, nem façam juízos de outrem, mas sejam mansos, pacíficos, modestos, afáveis e humildes, tratando a todos honestamente como convêm “. (Isso nos disse – São Francisco de Assis) Não ferir a ninguém, jamais – porque do irmão se aproxima de joelhos. – Santo Agostinho nos diz: “Deus te criou sem ti, mas não te salvará sem ti.” A nossa colaboração é indispensável e sumamente importante, de maneira a transbordamos o que temos no que fazemos.

Amem! Aleluia!

Madre felicidade de Lurdes Braga MAD